Primeiras impressões de Qt

Hoje assisti a primeira aula de um curso de introdução a Qt, oferecido pela Nokia no Centro de Informática da UFPE. A intenção é que, após oito aulas de quatro horas, estejamos com um jogo publicado na Ovi Store. A proposta é muito instigante.

Foto Aula Qt
Primeiros minutos do curso introdutório de Qt

Thiago Lacerda, do Instituto Nokia de Tecnologia (INdT), iniciou a aula dando uma visão geral do Qt e seu SDK. Logo após, colocamos a mão na massa e codificamos no QtCreator (IDE do Qt). Foram duas aplicações simples para console. Na primeira, criamos uma classe (derivada de QObject) com três timers, que imprimia o ID de cada timer ao expirar seu tempo. Para criar os timers, não precisamos de nenhum objeto membro. Bastou chamar startTimer(int msec), herdado de QObject, para criar em tempo de execução quantos timers quiséssemos. E para imprimir o ID na tela, bastou dar overload no método timerEvent (também de QObject), e colocar o código de impressão do ID do evento.

Foi meu primeiro contato com o QtCreator. A sensação de ter uma IDE que digita praticamente tudo para você é muito bom. É parecido com o Eclipse, só que o QtCreator por algum motivo parece ser mais "confortável". Talvez seja o fato de ter uma poluição menor de opções nos menus. É mais fácil de encontrar as coisas.

Minha única queixa foi em relação às mensagens de erro. Várias vezes erros meus levaram a mensagens de erro apontando para partes internas do Qt. Erros devido à falta de #includes também não eram claros. Se não me falha a memória, em certo momento, tudo que eu precisava era um "QTimerEvent undefined", pois não havia incluído <QTimerEvent>. Mas o que o Qt imprimia na saída de erros, não tinha muito a ver com isso.

Mas isso não me desencorajou a utilizar o Qt. A extensa e bem feita documentação online, IDE com excelente interface, assim como a enorme base de usuários (é fácil encontrar soluções de problemas de Qt no Google), dá a impressão que desenvolver em Qt deve ser muito tranquilo.

Para quem nunca ouviu falar, Qt é basicamente uma biblioteca enorme, em C++, feita para ser compilada em diversas plataformas: De Windows, Mac, Linux até iOS, Android, Symbian.  Além da biblioteca, também existe o kit de desenvolvimento, constituído de IDE e outras facilidades, como UI designer tipo drag-and-drop e simuladores para plataformas móveis.

Bom, estas foram as minhas primeiras impressões de Qt. A próxima aula é sobre QML, que segundo Daker Fernandes (INdT), é a mais importante do curso. Até lá, então!

Nenhum comentário on "Primeiras impressões de Qt"

Leave a Reply